E-mail

fronteiraonline@outlook.com.br

WhatsApp

49 9 9114-0414

Verdurão Supermercados
Polêmica

Banheiro unissex para alunos de creche causa polêmica em Barretos, SP

Imagens postadas em redes sociais por pais de crianças matriculadas viralizaram e causaram discussão. Por causa da repercussão, Prefeitura decidiu dividir sanitário em dois

18/04/2019 09h02
Por: Fronteira Online
Fonte: G1
104
Creche em Barretos, SP, atende crianças com idade entre zero e cinco anos — Foto: Fabio Junior/EPTV
Creche em Barretos, SP, atende crianças com idade entre zero e cinco anos — Foto: Fabio Junior/EPTV

Imagens divulgadas por pais de alunos da creche municipal Abdala Mehde Rezek, no bairro dos Predinhos, causaram polêmica em Barretos (SP). Os vídeos mostram que meninos e meninas com idades entre zero e cinco anos compartilham o mesmo banheiro.

Embora várias reclamações tenham sido feitas em redes sociais, a direção da escola afirma que não foi procurada pelos responsáveis para conversar sobre o assunto. No entanto, admite que o sanitário era usado de forma compartilhada pelas crianças.

A Secretaria Municipal de Educação informou que, após a repercussão, iniciou uma obra para criar banheiros independentes.

Desaprovação após vídeo

A polêmica surgiu depois que uma mãe esteve na escola e fez um vídeo mostrando o uso comum do banheiro pelos alunos. Nas imagens, é possível ver duas entradas sinalizadas, uma para meninos e outra para meninas, mas o cômodo é o mesmo.

“Olha como é aqui dentro. Tem as pias, chuveiros, as privadinhas deles. Aí, para minha surpresa, banheiro masculino. Eu estou aqui no mesmo banheiro. Entro pelo feminino e saio pelo masculino”, diz a mulher, enquanto gira a câmera para mostrar as portas com as placas.

Uma das postagens feita em uma rede social chegou a alcançar 1,5 mil compartilhamentos. Nos comentários, muitos usuários criticaram a Prefeitura por considerarem que a escola está trabalhando questões sobre gênero e sexualidade sem que o assunto seja discutido com a comunidade e os pais.

“Penso que, se querem a ideologia de gênero, então que fosse feito um terceiro banheiro e consultassem a opinião dos pais”, escreveu uma mulher.

 “Inaceitável isso. Por mais que crianças sejam inocentes, isso não pode acontecer”, publicou outra mulher.

Avó de duas crianças matriculadas na creche, a aposentada Rosana Vasconcelos Ferreira defende que os sanitários sejam separados para garantir a privacidade dos alunos. “É muito errado. Tem que ser tudo separadinho, menina para lá e menino para cá.”

Prefeitura faz obra emergencial

A secretária de Educação, Valéria Mauro Rego, afirma que o compartilhamento começou a ser feito na gestão da diretoria anterior e que o uso comum nunca foi alvo de críticas ou discussões. Segundo a direção, os pais têm livre acesso às dependências da escola.

“A obra sempre foi dessa forma porque nunca ninguém viu nenhuma maldade nisso. Elas [crianças] sempre eram acompanhadas por seus educadores ou seus professores.”

De acordo com a secretária, após as reclamações, a Secretaria e a diretoria começaram uma obra para dividir o banheiro em dois.

“A partir do momento que nós soubemos que isso daí era uma prioridade para as mães que têm os seus filhos aqui, nós deixamos de fazer os reparos que já estavam previstos, para que a gente pudesse fazer essa divisória nos dois banheiros da unidade.”

Diretora da unidade, Mariana Pereira da Costa diz que a repercussão causou surpresa. Segundo ela, os pais poderiam ter apresentado o descontentamento diretamente à escola para buscarem uma solução.

“Se eu soubesse desse questionamento dos pais, é lógico que teríamos tomado providências muito antes. Eu acredito muito no diálogo. Esse banheiro incomodava sim, mas a gente tinha outras prioridades [de melhorias prediais] que incomodavam muito mais.”

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias