Temais Telecom
Condenado

Tribunal do Júri condena acusado de matar jovem de Anchieta a mais de 18 anos de prisão

A justiça condenou, nesta quarta-feira, 27, Nain Dewites, 32 anos, a 18 anos e oito meses de prisão em regime fechado pelo feminicídio de Indiamara Aparecida de Moura

28/02/2019 09h59
Por:
Fonte: Tudo sobre Xanxerê
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O réu foi considerado responsável pelo crime de homicídio triplamente qualificado, com os agravantes de feminicídio, motivo torpe e sem oferecer chance de defesa à vítima.

Logo após a sentença, ele foi encaminhado novamente ao Presídio Regional de Xanxerê, onde estava preso preventivamente desde março de 2018 e onde permanece até conseguir uma vaga na Penitenciária de Chapecó.

O julgamento durou cerca dez horas. Pela manhã, foram ouvidas testemunhas e o depoimento do réu, que alegou não se lembrar exatamente do momento em que matou Indiamara. A tarde foi reservada ao debate entre promotores e defensores. Já no início da noite, os jurados se reuniram para discutir a decisão e Nain foi condenado pela maioria dos votos.

O advogado do condenado, Odílio Hilário Lermen, disse que a defesa está satisfeita com o resultado e dificilmente recorrerá. - Deu uma votação meio controversa, mas deu isso. Dificilmente eu vou recorrer, o cliente disse que está bom, o Ministério Público não sei se recorre. Fizemos um bom trabalho, ele [Nain] disse que está satisfeito e que não quer recorrer. Foi um debate forte, uma acusação forte, fizemos uma grande defesa e somos profissionais e temos que acatar a decisão - disse Odílio.

Para a promotora Ana Cristina Boni, a sentença também atendeu às expectativas do Ministério Público. - Preliminarmente, sem uma análise maior, me parece que o quantitativo da pena atende às expectativas do Ministério Público, a magistrada teve o cuidado de analisar circunstâncias do crime na fase de fixação da pena base bastante importantes, então aos olhos do MP a pena é adequada sim - afirmou a promotora.

O crime

Indiamara foi assassinada no início da noite do dia 26 de março de 2018, quando chegava a uma instituição de ensino, onde estudava. O acusado teria a abordado e desferido vários golpes de faca contra ela. Quando os socorristas do Corpo de Bombeiros chegaram, ela ainda estava viva, mas não resistiu aos ferimentos e morreu logo após dar entrada no hospital.

Após o crime o suspeito fugiu do local e foi encontrado pela polícia na manhã seguinte, em Anchieta. Ele foi preso e encaminhado para a Unidade Prisional Avançada de São José do Cedro e depois foi transferido ao Presídio Regional de Xanxerê, onde permanece preso.

Na época o laudo cadavérico apontou que o corpo da vítima apresentava 11 ferimentos perfurocortantes no pescoço e abdômen, indicando que ela recebeu pelo menos sete facadas do agressor.

Indiamara morava em Entre Rios com a mãe e tinha uma filha de seis anos de idade com o autor. Segundo as informações apuradas na época do crime, ela havia terminado o relacionado com o suspeito havia três meses e havia pedido medida protetiva.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.