Temais Telecom
DISPUTA

'Fomos muito felizes durante esses 20 anos', afirma Rose, viúva de Gugu

Fora do testamento, companheira busca reconhecimento de união estável com o apresentador. Filhos se pronunciam pela 1ª vez sobre disputa judicial.

10/02/2020 06h40
Por: Marcos Engel
Fonte: G1
163
Gugu Liberato durante coletiva de imprensa do reality show 'Canta Comigo' em 23 de setembro, no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo — Foto: Fábio Guinalz/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Gugu Liberato durante coletiva de imprensa do reality show 'Canta Comigo' em 23 de setembro, no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo — Foto: Fábio Guinalz/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Rose Miriam di Matteo, viúva de Gugu, reafirmou que ela e o apresentador eram um casal. Em busca do reconhecimento da união estável para ter direito ao patrimônio deixado pelo artista, Rose enviou um vídeo ao Fantástico. Ela ficou de fora do testamento de Gugu e a família do apresentador não reconhece a união estável.

"As pessoas que disserem que nós não éramos uma família, eu gostaria que entendessem que estão cometendo um grave erro. Nós fomos muito felizes durante esses 20 anos. Tivemos, claro, os nossos altos e baixos, como qualquer casal tem", afirma Rose Miriam.

A viúva reuniu fotos da gravidez, com os filhos pequenos, viagens, férias e cenas românticas com Gugu e vai anexá-las ao processo para comprovar a união estável. Entre os documentos também estão recados escritos pelo apresentador. Se a união estável for reconhecida, metade do patrimônio de Gugu - avaliado em R$ 1 bilhão - seria, por direito, de Rose.

"Eu e o Gugu, a quem eu chamava de anjo, nós conhecemos muito jovens, em 1983. Namoramos um tempo e depois eu fui fazer minha faculdade de medicina. Em torno de 2000, nós nos reencontramos para constituir uma família, filhos, pai, mãe, esposo, esposa, companheiro, companheira. Gugu sempre dizia: 'Rose, quando chegar a high school vamos para os Estados Unidos, vamos criar as crianças lá, nós vamos ser muito felizes'. E assim nós viemos para cá. Vivemos nos últimos cinco anos muito felizes. Mas tragicamente Gugu se foi no dia 20 de novembro do ano passado. O que resta é guardar essa lembrança de um homem virtuoso, de um homem íntegro. Quero aproveitar esse vídeo para agradecer a todas as pessoas que estão me apoiando nas últimas semanas. Beijos, fiquem com Deus".

Rose tinha pedido e conseguido na Justiça uma pensão provisória de R$ 100 mil. A decisão foi derrubada na segunda instância. Ao invés disso, vai ganhar o equivalente US$ 10 mil por mês. Tudo por conta de um documento divulgado na última semana.

'Compromisso conjunto'
Em março de 2011, Gugu e Rose assinaram um "compromisso conjunto para criação de filhos". O documento diz que "por meio de inseminação artificial (...) tiveram três filhos".

Também diz que: "os pais apenas vinculam-se por respeito e amizade, ligados somente como pais”, e que "pai e mãe sempre habitaram em residências separadas" e que Gugu arcaria com "todas as despesas", depositando mensalmente um valor na conta do irmão de Rose, Gianfrancesco Di Matteo.

O mesmo irmão que, após a morte de Gugu, se instalou na casa da família nos Estados Unidos e que, no sábado (8), foi obrigado a deixar o imóvel, depois que o filho mais velho de Gugu, João Augusto, recorreu a um advogado nos Estados Unidos.

O documento termina dizendo que Gugu e Rose "declaram-se plenamente satisfeitos, mantendo e conservando, isoladamente, sem qualquer participação ou ingerência do outro, os seus próprios bens".

"Em nenhum momento Rose renuncia ao direito de união estável. E nem Gugu manifesta sua vontade à renúncia da união estável", disse o advogado de Rose, Nelson Wilians. Ele afirma que a cliente teria assinado o documento enquanto se tratava de uma depressão profunda.

"O casal estava naquele momento rompido. Ou seja, o documento, na verdade, estabelece formas de criação do filho".

Willians nega que eles estivessem juntos apenas para ter filhos. "Esse documento não fala isso. Aquele documento é como se fosse um término de relacionamento. Porém, logo depois, reata o casal. Quantos casais não brigam, saem de casa, depois reatam?".

União estável

João Ricardo Brandão Aguirre, presidente da Comissão de Direito de Família e Sucessão da OAB-SP, afirma que para se caracterizar união estável existem alguns requisitos.

"Ela tem que ser duradoura, tem que ser pública, tem que ser contínua e tem que ter o objetivo de constituir família. A filiação, por si só, não comprova existência de uma relação de união estável, então, é possível que a gente tenha filhos sem ter família. Não é qualquer contrato que vai produzir efeitos no direito de família".

O advogado Paulo Lins e Silva, especializado em direito de família também opina. "Eu acho estranho dois amigos criar filhos juntos. É uma união estável. Ninguém tem filho sem ter afeto. Não, eu resolvi ter filho por esporte. Isso não existe".

De acordo com Lins e Silva, não é preciso viver junto e não precisa nem ter sexo. Sexo e local diferentes não desconstituem a união estável.

"Pode ser que eles dois achem: 'não, nós não somos família'. O juiz vai analisar e decidir. A prova da união estável é muito fácil de se fazer com documentos, fotografias, bilhetes, cartas, viagens. Isso é muito fácil provar", explica Lins e Silva.

Filhos do casal

Os filhos de Gugu e Rose se manifestaram pela primeira vez. Em nota, eles dizem que:

“À vista das últimas declarações postadas na mídia pela defesa de sua mãe, não esperavam e não pactuam deste espetáculo que pretende transformar a mentira em verdade, para desvirtuar os legítimos desejos de seu pai".

"Expressam o seu respeito à mãe, mas entendem que ela deveria estar ao lado deles, não contra. Acreditam que, mais cedo ou mais tarde, ela deixará de ser influenciada por pessoas que querem dela se aproveitar".

"A ninguém é dado o direito de desrespeitar a pessoa do nosso pai ou a distorcer a vida por nós levada ao longo de sua existência. Nem Rose Miriam nem os seus defensores estão autorizados a se apropriar da imagem de Gugu por afrontar judicialmente sua última vontade, desrespeitando o testamento por ele deixado”.

Morte após acidente doméstico

O apresentador Gugu Liberato morreu em novembro de 2019 após sofrer um acidente doméstico em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos. Gugu tinha 60 anos e era pai de três filhos que teve com a médica Rose Miriam di Matteo.

Para atender a um desejo do apresentador, foi autorizada a doação de seus órgãos. A cirurgia concluída na manhã do dia 24 de novembro durou cerca de 6 horas. Cerca de 50 pessoas foram beneficiadas pelas doações de órgãos.

O corpo do apresentador foi velado por mais de 20 horas na Assembleia Legislativa de São Paulo e enterrado no Cemitério Gethsêmani do Morumbi, na Zona Sul de São Paulo. Fãs, familiares e amigos participaram das cerimônias que foram abertas ao público, a família teve uma área reservada.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.