Temais Telecom
APROVAÇÃO

Parlamentares britânicos aprovam lei para impedir Brexit, e Boris Johnson quer novas eleições

Após perder maioria, o primeiro-ministro Boris Johnson saiu derrotado ao não ter mais apoio para forçar uma retirada do Reino Unido da União Europeia com ou sem um pacto.

04/09/2019 16h18
Por: Fronteira Online
Fonte: G1
Foto: HANNAH MCKAY / REUTERS
Foto: HANNAH MCKAY / REUTERS

A Câmara dos Comuns do Parlamento britânico confirmou, em nova votação nesta quarta-feira (4), a aprovação de uma lei que tenta impedir um Brexit sem acordo na data limite de 31 de outubro. O resultado – 327 votos a favor e 299 contra – representa uma derrota para o primeiro-ministro Boris Johnson, que propõe, agora, convocar novas eleições no Reino Unido.

No entanto, o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, tem de aprovar a convocação do novo pleito. O oposicionista afirmou que só fará isso depois que a lei for aprovada pela Câmara dos Lordes – a casa alta do Parlamento.

A Câmara dos Lordes não pode vetar uma lei, apenas ratificá-la ou propor emendas. Isso pode, no entanto, atrasar o andamento da proposta, porque a casa alta do Parlamento já apresentou 86 emendas ao projeto antes mesmo da votação desta quarta-feira.

Para Johnson, a medida apoiada por parlamentares "destrói a capacidade do governo de negociar".

"Eu não quero eleições, o público não quer eleições. Mas esta casa não deixou outra opção a não ser permitir que o público decida quem ele quer como primeiro-ministro", afirmou Johnson.

De acordo com a programação ainda em vigor, Johnson estará em Bruxelas em 17 de outubro para uma reunião com líderes europeus para tentar chegar a um pacto. O premiê desejava um Brexit com ou sem acordo até 31 de outubro, mas, com a negativa dos parlamentares, ele tem ameaçado convocar novas eleições.

"Posso convidar o líder da oposição para confirmar, quando se levantar em breve, que se a rendição for aprovada ele permitirá que as pessoas deste país tenham sua opinião sobre o que ele propõe entregar em seu nome, com uma eleição em 15 de outubro?", indagou.

Premiê sem maioria

Johnson perdeu o apoio da maioria depois que parlamentares correligionários, do Partido Conservador, passaram a votar juntamente com o Partido Trabalhista, do líder opositor Jeremy Corbyn. O premiê, inclusive, acusa o oposicionista de emperrarem o Brexit em 31 de outubro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.