Verdurão Supermercados
Declaração

Bolsonaro diz que presidente do BNDES está com 'cabeça a prêmio'

Na opinião do presidente da República, Joaquim Levy não tem sido 'leal' a ele: 'Eu já estou por aqui com o Levy'. Bolsonaro disse que mandou demitir diretor.

16/06/2019 08h41Atualizado há 1 mês
Por: Fronteira Online
Fonte: G1
Joaquim Levy (centro), numa cerimônia no Palácio do Planalto com o presidente Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes — Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Joaquim Levy (centro), numa cerimônia no Palácio do Planalto com o presidente Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes — Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (15) que o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, está com a "cabeça a prêmio".

Bolsonaro deu a declaração no momento em que deixava o Palácio da Alvorada, em Brasília, e se dirigia à Base Aérea para viajar para o Rio Grande do Sul. O presidente desceu do carro, conversou com algumas pessoas e concedeu entrevista a jornalistas.

Na entrevista, Bolsonaro, sem ser questionado, disse que mandou Joaquim Levy demitir o diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto. Acrescentou que, se Barbosa Pinto não for demitido, ele, Bolsonaro, demitirá Levy.

"Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele: 'Demita esse cara na segunda-feira ou demito você sem passar pelo Paulo Guedes'", disse o presidente.

Em seguida, Bolsonaro acrescentou:

"Governo tem que ser assim, quando bota gente suspeita em cargos importantes. E essa pessoa, como o Levy, vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que conhece a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já tem algum tempo."

Marcos Pinto, a quem Bolsonaro se referiu, foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Levy no BNDES

Joaquim Levy tomou posse em janeiro como presidente do BNDES.

Ainda no ano passado, quando Levy foi escolhido para o cargo, Bolsonaro disse que quem havia "bancado" a indicação dele era Paulo Guedes, atual ministro da Economia.

Levy comandou o Ministério da Fazenda no segundo mandato de Dilma Rousseff e deixou o cargo após 11 meses.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.