Temais Telecom
Abelardo Luz

Justiça condena vereador de SC a 9 anos de prisão por capotar viatura da Polícia Civil e ameaçar família

Lucas Sernajoto (MDB) é policial civil e estava acompanhado de outro homem no veículo, que foi condenado a seis anos em regime semiaberto, mas vai responder em liberdade.

11/06/2019 08h38
Por: Fronteira Online
Fonte: G1
Homens usaram carro da Polícia Civil em ameaça à família de ex-companheira de um deles — Foto: Reprodução/NSC TV
Homens usaram carro da Polícia Civil em ameaça à família de ex-companheira de um deles — Foto: Reprodução/NSC TV

O vereador de Abelardo Luz e policial civil Lucas Sernajoto (MDB) foi condenado na última sexta-feira (7) a nove anos, cinco meses e 28 dias de prisão em regime fechado por ameaçar uma família e capotar uma viatura da corporação em abril. Outro homem, que estava no veículo com ele, foi condenado a seis anos e quatro meses de regime semiaberto, mas ganhou o dinheiro de recorrer em liberdade. A decisão é da Vara Única de Abelardo Luz.

A reportagem tentou contato com o advogado de Sernajoto, sem sucesso até esta publicação. O nome do segundo envolvido não foi divulgado. Os dois estavam presos desde 19 de abril e o vereador renunciou ao cargo em 26 de abril.

A família ameaçada é da ex-companheira do filho de um amigo do vereador. O homem estava com Sernajoto no carro da polícia na madrugada de 18 de abril. Os dois foram até o assentamento Roseli Nunes e ameaçaram a família dela, segundo a Polícia Civil. Horas depois, o vereador capotou a viatura no interior do município. Eles estavam com uma espingarda da Polícia Civil.

Conforme o TJSC, Lucas Sernajoto foi condenado por porte ilegal de arma de fogo, coação de testemunha por duas vezes, abuso de autoridade, disparo de arma de fogo por duas vezes, embriaguez ao volante e dano ao patrimônio público. Ele também teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por dois meses e 10 dias, além de perder o cargo público de vereador.

Já o outro homem foi condenado por porte ilegal de arma de fogo, coação de testemunhas duas vezes e disparo de arma de fogo duas vezes. O nome dele não foi divulgado.

A reportagem tentou contato com a Polícia Civil para informações sobre procedimentos internos de apuração do caso, sem sucesso.

Ameaça a família

Nos autos do processo judicial, segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, por volta de 5 horas do dia 18 de abril o vereador emprestou uma espingarda da delegacia para o filho do amigo. Ambos seguiram para o assentamento em uma viatura da Polícia Civil.

Um homem, a família e a ex-companheira foram ameaçados pela dupla. Nas situações, houve disparos de arma de fogo. A motivação era a ligação do segundo réu em um processo que a ex-companheira movia, de acordo com o TJSC.

Ainda conforme o TJSC, Sernajoto estava sob efeito de bebida alcoólica e dirigia o carro. Ele capotou a viatura e deixou o local do acidente.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.